Contacto
 
Buscar: Artículos
@habitat_intl
@hicpresident
 

Brasil realiza a 13 ª jornada brasileira “na cidade sem meu carro” no dia 22 de setembro

Brasil, Septiembre 2013


A Jornada Mundial “Na Cidade Sem Meu Carro” (22 de setembro) é um momento de reflexão sobre a realidade devastadora da prioridade das políticas públicas no trânsito e nas vias para os automóveis e motocicletas, bem como das graves conseqüências para o meio ambiente e ao Direito à Cidade.

 

O movimento acontece todos os anos, e em 2013 mobiliza até o momento mais de duas mil cidades no mundo, restringindo o uso do automóvel e motocicletas nas vias. No Brasil esta é a décima terceira edição e tem prevista a participação de mais de 25 cidades.

 

A Jornada surge da preocupação relacionada com o transporte individual motorizado e suas conseqüências sobre o meio ambiente e a qualidade de vida nas nossas cidades. Surgiu na França em 1997, e no ano passado já se fez presente em 40 países. A primeira Jornada Brasileira aconteceu em 2001 por iniciativa do Instituto de Mobilidade Sustentável - RUAVIVA, sediado em Belo Horizonte e é o responsável da jornada do Brasil perante a organização internacional.

 

Em 2013, se agregam à organização da Jornada o Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte de Qualidade para Todos (MDT) e o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP). Recebe o apoio institucional da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Fórum de Secretários de Transporte e Trânsito e da Secretaria de Mobilidade e Transporte do Ministério das Cidades.

 

A Jornada “Na Cidade Sem Meu Carro” é uma atividade institucional que acontece todo 22 de setembro e é de responsabilidade das Prefeituras que aderem ao movimento, mas poderá também acontecer por iniciativa da sociedade civil, que desenvolvem atividades onde não há apoio governamental. É a hora propícia para as Prefeituras lançarem corredores exclusivos sem estacionamentos de carros e monitorados contra invasão dos automóveis; promoverem bicicletadas ou caminhadas e estabelecerem temporariamente espaços gramados em locais normalmente destinados aos automóveis, como estacionamentos e cruzamentos importantes, surpreendendo e divertindo as pessoas, além de favorecer o entendimento da mensagem “Na Cidade, Sem Meu Carro”. Sugerimos estas e tantas outras formas para a população perceber a mudança que poderia acontecer com os carros domesticados.

 

A Jornada pretende ser uma reflexão sobre o uso insustentável do automóvel pelos seus custos sociais, sobre o consumo elevado de combustível não renovável e poluente, sobre os congestionamentos das vias urbanas e sobre os acidentes com vitimas fatais. A questão ambiental, o efeito estufa e as chuvas ácidas estão no centro do debate europeu sobre o uso do automóvel. Para nós, o centro do debate está no uso da via pública pelo transporte público e não motorizado para conquistar qualidade, e acessibilidade para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

A sociedade brasileira percebeu que não há mais como abrigar nas ruas tantos carros. Com a vigência a Lei da Mobilidade Urbana (Lei 12.587/2012), cria-se UM NOVO PARADIGMA: a prioridade no uso e nos investimentos públicos feito nas ruas é agora para pedestres, bicicletas e transporte público. Esse é o centro da luta da 13ª Jornada Brasileira.

 

Para acontecer a Jornada, o Instituto RUAVIVA envia cartas convite e de adesão às cidades, indicando formas de organização. Além disso, desenvolve contatos com secretários municipais de transporte, prefeitos, diretores de educação para o trânsito e entidades afins, chamando-os a se engajarem na Jornada.

 

A Jornada “Na Cidade, Sem Meu Carro” quando garante uma área sem automóveis, torna-se um dia de reflexão sobre as conseqüências do uso indisciplinado dos automóveis e da apropriação antidemocrática das vias, restringindo a fluidez dos ônibus, bicicletas e pedestres. Para o arquiteto e urbanista Nazareno Affonso, presidente do RUAVIVA, esse dia “ajuda a demonstrar que as pessoas podem viver um espaço urbano com melhor qualidade ambiental, com paz no trânsito, e propiciando mais cidadania e maior integração social, contribuindo para a construção de uma consciência em favor da mobilidade sustentável, usando, para tanto, a criatividade. Portanto, é o momento para as entidades da sociedade civil organizada, grupos de moradores e a mídia se mobilizarem para levar e difundir suas propostas”.

 

As inscrições dos municípios são feitas mediante o envio de carta de adesão para ao Instituto da Mobilidade Sustentável- RUAVIVA, pelo fone/fax: (31) 3224-0906, e-mail: ruaviva@ruaviva.org.br ou pelo endereço Rua Bueno Brandão, 307 - Belo Horizonte (MG) CEP: 31.010-060. 111. Informações adicionais e solicitação de entrevista podem ser obtidas mediante o fone/fax acima ou pelo e-mail da Assessoria de Comunicação Social: ruaviva@ruaviva.org.br











Loading the player...
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.








<< < Septiembre/2017 > >>
Dom Lun Mar Mie Jue Vie Sab
 
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30


Brasil . Livro Produção Social da Moradia
Nos últimos dez anos, o Brasil experimentou uma significativa expansão de formas assoc...
Brasil. Lutas pela Reforma Urbana são tema de oficina autogestionada no FST
Fórum de Reforma Urbana realiza oficina no Fórum Social Temático...
Brasil. Fórum Nacional de Reforma Urbana se posiciona contra a reintegração de posse da Vila Soma
NOTA PÚBLICA...
Brasil. Vitória das famílias! Reintegração suspensa, mobilização segue
As famílias da Ocupação Soma comemoram o resultado de sua mobilizaç&atil...
DECLARAÇÃO SOBRE AS MENSAGENS FUNDAMENTAIS PARA A HABITAT III NO DIA MUNDIAL HABITAT 2015
From the Global Platform for the Right to the City...
Brasil. Os Macacos (ou Lêmures) estão por toda a cidade
Artista questionador e provocador. Subtu é um dos grafiteiros mais ativos de São Paulo...
DECLARAÇÃO FINAL – XVIII CÚPULA SOCIAL DO MERCOSUL BRASÍLIA 14, 15 e 16 DE JULHO DE 2015
Expressamos neste documento os consensos alcançados pelas várias organizaç&otil...
Brasil. Cooperativa habitacional do Uruguai é tema de mostra em SP
A PARTIR DE 3 DE JUNHO, O PÚBLICO PODERÁ CONFERIR NO MUSEU DA CASA BRASILEIRA UMA EXPO...
Brasil. JORNADA NACIONAL DE LUTA PELO DIREITO Á MORADIA, POR REFORMA URBANA, PELA FUNCAO SOCIAL DA CIDADE E DA PROPRIEDADE.
...
Brasil. BOLETIM DO FÓRUM NACIONAL DE REFORMA URBANA
BOLETIM DO FÓRUM NACIONAL DE REFORMA URBANA...
Brasil. Famílias que serão removidas por causa de Belo Monte recorrem à defensoria
Mais de 500 famílias de Altamira (PA) que terão de ser deslocadas por causa da constru...
Brasil. Benedito Barbosa recebe Medalha Nacional de Acesso à Justiça, nesta quinta-feira
A cerimônia acontece no dia 18 de dezembro, às 10h, em Brasília, no Salão...
3ª Conferência das Nações Unidas sobre Moradia e Desenvolvimento Urbano Sustentável
Car@a, Nosso país, assim como as demais nações que fazem parte da ONU tem a tar...
“A Política de Moradia é Basicamente de Favorecer o Mercado Privado”: Entrevista com Lorena Zárate, da HIC
Habitat International Coalition (HIC, ou Coalizão Internacional Habitat), é uma a...
Brasil. Juizas/es que recebem auxílio moradia, vão condenar multidões pobres a ficarem sem-teto e sem-terra?
No dia 15 de setembro passado, o Ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, concedeu “tut...

HIC-AL
Desde 2001, seguindo a proposta dos membros regionais e por decisão do conselho da Coalizão Internacional do Habitat (HIC), trabalha na Cidade do México o Escritório  de Coordenação Regional para América Latina da HIC (HIC-AL).
Ler mais




 
 



El contenido de esta página puede ser reproducido, siempre y cuando se cite la fuente y se envíe copia a HIC-AL (info@hic-al.org - Huatusco No. 39 - Col. Roma Sur - 06760 México D.F.), detallando brevemente la utilización que se le ha dado. Del mismo modo, nosotros citamos las fuentes que proporcionan gran parte de los materiales aquí incluidos. La información es de todos/as y para todos/as. Nos hacemos más fuertes si sabemos de dónde viene y adónde va."

Aviso legal / Legal disclaimer